Ciclo de estudos (60 ECTS) destinado a praticantes profissionais ou pré-profissionais de reportório renascentista e barroco (Canto, Flauta, Charamela, Baixão, Corneto, Sacabuxa, Violino, Viola da Gamba, Alaúde e Harpa) interessados em aprofundar a sua experiência com o reportório polifónico dos séculos XVI-XVIII numa perspetiva de filologia aplicada.

Pretende-se com este curso estimular o conceito do Intérprete Historicamente Formado (ou seja, do músico que passa por um processo de aprendizagem semelhante ao que nos é testemunhado através da documentação histórica) por oposição à ideia de Interpretação Historicamente Informada (aquela que é contextualizada por informação histórica) que vigora.

Os alunos receberão uma formação enfocada na leitura do reportório polifónico de 1500′-1700′ em contacto direto com as fontes históricas, no domínio de práticas de aprendizagem históricas como a solmização, o canon, o contraponto, a diminuição e a improvisação, e no esclarecimento de aspetos teóricos fundamentais como o contraponto, a modalidade, a retórica e a poética. Para além disso, o curso pauta-se por um espírito de missão no resgate de reportório inédito ou pouco aprofundado, sendo um dos objetivos a sua apresentação pública e documentação em registos fonográficos. As diversas áreas/UCs de estudo articulam-se e convergem em torno de momentos laboratoriais e de apresentação realizadas ao longo de 10 sessões de 24 horas realizadas em fins-de-semana (sexta -domingo).

Cada ano da Pós-Graduação será subordinado a um ou mais temas diferentes (por exemplo, liturgia de vésperas, canção profana palaciana, semana santa) que determinará a escolha do reportório, selecionado dentro de diversos estilos e períodos.

Actividade performativa com ensembles especializados na interpretação de polifonia dos séculos XVI-XVIII

Eugénio Amorim
Hugo Sanches
Pedro Sousa e Silva